Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

O VAZIO.

            O espaço não ocupado por alguma coisa ou alguém, costuma nos causar certa angústia ou mesmo um incômodo. Parece que precisamos estar preenchidos por completo de informações, lembranças, tarefas, planos e amigos virtuais de redes sociais para nos sentir inteiros. Não separamos nenhum tempo para escutar a voz interior, até por que acreditamos que não temos tempo disponível para esse luxo.

          

            No final do dia, muitas das vezes, acabamos por ficar com o que nos restou: um vazio como conseqüência de ter ouvido e seguido vozes alheias as nossas necessidades.

         

            Pagamos um preço alto demais por termos sido displicentes com a nossa vida, distraindo-se com muita facilidade em meio a tantas demandas espalhadas em nosso redor.

         

            Segundo Goleman, “precisamos aprender a aprimorar nosso foco se quisermos prosperar no mundo complexo em que vivemos”. Ouso acrescentar que precisamos, também, aprender a administrar todas essas necessidades.

         

            Saber gerenciar as nossas prioridades é imprescindível para o bom andamento do nosso desempenho, independente em qual área for, porque , caso contrário, poderemos nos distrair e desviar, facilmente, dos nossos objetivos a serem alcançados.

         

            No entanto, antes disso, saliento o quão se faz inevitável reservar alguns segundos, não mais que isso, para pararmos e nos esvaziarmos de tudo aquilo que possa estar contribuindo para que o nosso coração fique empedernido sobre o que nos é essencial e nos mantêm conectados a nós mesmos.

        

           Darmos a atenção aos nossos afetos, necessidades e valores, será a melhor escolha, pois eles dirão qual caminho devemos trilhar para encontrar a tal satisfação, que acabará nos levando a tomar decisões relevantes para nossa existência.

 

            Reservar um tempo para refletir, ouvir uma música para nos estimular, praticar exercícios, dançar, passear em algum lugar rodeado pela natureza, conversar com amigos... tudo isso, poderá ajudar a redirecionar as nossas forças e atenção.

          

            Uma vez que, estamos cheios de ideias, sentimentos e afetos mal resolvidos, por não termos dado esse tempo ínfimo, mas tão importante para escutarmos o nosso corpo, para entendermos o que se passa dentro de nós, poderemos não enxergar a nós mesmos e cometer alguns deslizes que poderão ser cruciais para o nosso crescimento.

            

            Então, procurar fazer uma limpeza no nosso interior, de vez em quando, ajudará a não dispersarmos a nossa energia com o supérfluo. Existem pessoas que só se dão conta do que é importante, quando acontece alguma situação dramática em sua vida e , desta forma, acabam agindo, impulsivamente, sem ao menos parar para ver se o que escolheu tem a ver com a sua real necessidade.

          

            Identificar os obstáculos em meio a tanta sujeira no caminho é urgente. E esses obstáculos, às vezes, são produzidos por nós mesmos, através de vozes internas, de alguns fantasmas, que nos dizem para desanimarmos, desistirmos e não confiarmos em nós.

       

            Porquanto, precisamos estar dispostos a realizar a arrumação necessária das nossas capacidades e habilidades, para não ficar acumulando ou mesmo deixando que as sujeiras venham a entupir e impedir de estarmos abertos a novas possibilidades.

       

           Quando nos esvaziamos dos excessos, contribuímos para enxergarmos, inclusive, aquilo que, inicialmente, parecia impossível.

      

           Não mais permitir acúmulos, apegos desnecessários, será o início de uma grande transformação, que trará conseqüências, provavelmente, recompensadoras.

      

            Assim, espero que possamos seguir adiante, sem medo de reciclar ou mesmo jogar fora o que não nos é mais importante em nossa caminhada, valorizando o vazio, certos  de que, em algum momento, quando nós nos esvaziarmos das vozes alheias, valores que não nos pertence, abriremos possibilidades para que, mais lá na frente, tenhamos espaços dentro de nós para nos escutarmos e sermos preenchidos com o que nos edifica, fortalecendo a fé em nós , em nossas promessas, com determinação e foco.

 

                                      (Fonte da imagem:http://cirandasaosol.blogspot.com.br)

 

                                                                                                                                

 

                  

        

6 comentários

Comentar post