Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

METAMORFOSE.

              Muitos falam em mudança, mas poucos se permitem vivenciar o processo de uma verdadeira conversão que nos leva ao amadurecimento emocional. O cantor Raul Seixas em 1973, brilhantemente, escreveu a música Metamorfose Ambulante em que um de seus trechos dizia: “Prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.”

          

           Quando percebemos que o antigo não mais nos satisfaz, mudar de opinião ou mesmo de paradigma se faz necessário para o desenvolvimento pessoal e organizacional, como também, para ampliar conhecimentos, habilidades e contribuir para o crescimento emocional e evolutivo.

      

           Entretanto, existem pessoas que utilizam de uma forma distorcida o amor-próprio, ao ponto de persistirem em fórmulas ultrapassadas sem reconhecer que existe muito mais do que seus pensamentos para não ‘dar o braço a torcer’ por puro orgulho. Pessoas, assim, demonstram na realidade uma falta de confiança em si e estão inseguras. Elas apresentam dificuldades em aceitar a chegada do novo, preferem não aprimorar as suas técnicas ou jeito de ser em prol de algo que já sabem e que se sentem seguras, ao invés de vestirem a roupa da humildade e serem aprendizes.

        

          Estar aberto a novos projetos, técnicas de liderança, novos empreendimentos, novas competências que favorecem as relações interpessoais é dizer para o mundo que você quer ser um vencedor e aceita a mudança, mesmo que para isso precise pedir ajuda para lidar com uma metamorfose diária.

        

         Converter os nossos antigos hábitos nunca foi fácil, porém existem alguns momentos em nossa vida que somos levados a isso se quisermos viver com qualidade de vida. A natureza é sábia e nos ‘cutuca’, envia sinais, quando começamos e insistimos em trilhar um caminho extremamente perigoso que tende a ter resultados desastrosos para a nossa existência. Todavia nem sempre estamos atentos a esses sinais e muitas das vezes ignoramos as diversas ‘cutucadas’ dessa força ativa e nos apegamos sem procurarmos entender às sensações ruins, de inferioridade, rejeição ou vitimismo.

        

          Por isso, é tão importante o autoconhecimento. Visto que, através dele podemos descobrir as raízes emocionais dos nossos problemas, aprender a nos escutar, abrir os nossos olhos para as nossas necessidades, respeitar os nossos sentimentos, tomar consciência dos valores e crenças que foram incorporados ao nosso comportamento e , se necessário for, a partir daí, desenvolver novas atitudes e transformar a maneira como caminhamos.

        

           Para obter resultados diferentes em nossa vida, precisamos mudar o jeito de agir, pois senão estaremos nos enganando. Converter os hábitos, posturas, atitudes e o jeito de lidar com o que nos deparamos no caminho da nossa existência são escolhas importantes que ajudarão a nos responsabilizar e respeitar a nossa natureza, a nossa essência.

        

           Logo, se desejamos mudanças, então, temos que arregaçar as mangas, dar atenção às nossas demandas, nos aceitar incondicionalmente e procurar conhecer e entender os valores e as crenças que acabam impedindo a nossa liberdade de ser. Enfim, devemos procurar respeitar, permitir vivenciar o processo da verdadeira metamorfose sem medo do novo e acreditar que o que irá surgir será muito melhor, muito mais maduro.

 

                      (Fonte da imagem: http://www.ninha.bio.br/biologia/borboletas.html)  

                                                 

                 fases-monarca[1].jpg

 

       

        

1 comentário

Comentar post