Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

FECUNDIDADE.

                                                         (Fonte da imagem: www.arcadaalianca.com.br)

                                                                  

                                         images[5].jpg      

 

              Para algumas pessoas ser fecundo, tornar-se capaz de fecundar, de gerar vidas é um grande desejo. Umas conseguem realizá-lo. Existem aquelas que carregam esse desejo desde muito cedo. Outras deixam para pensar nisso no final de cada ano ou início do próximo.

           

             Fecundar é um verbo, uma ação que transmite uma causa imediata para o desenvolvimento. No entanto, algumas pessoas se sentem paralisadas e têm uma atitude muito contemplativa e pouco produtiva a respeito disso.

           

             É bom ter o desejo que a nossa árvore cresça, fortifique, produza frutos novos que possam ser comestíveis e suas folhas sejam usadas como remédio para os nossos males.

           

             Contudo, desejar, somente, não fará com que consigamos produzir esses frutos ou mesmo criar uma vida ou qualquer outra obra realizada. Precisaremos, antes de tudo, decidir e colocar ação nas nossas forças internas e externas para colaborar com o tão sonhado feito que, possivelmente, poderá transformar não somente uma vida, mas muitas outras.

          

            Teremos que arregaçar as mangas com muita disposição, deixar de lado a nossa preguiça, comodismo, impaciência, cansaço, preocupação com a opinião alheia, procrastinação, medo excessivo, ansiedade extrema, inflexibilidade, enfim, tudo que possa servir de impedimento à realização do nosso desejo.

           

            Uma vez que, tomamos consciência desse nosso desejo e implantamos a disposição necessária, só nos resta ir em frente, porém, com prudência para não exagerar nas ações e colocar todo o nosso plano fértil em risco.

            

            Alguns cuidados são importantes: conectar com a nossa essência, com aquilo que nos impulsiona para a vida, nos faz criativos, independente de estarmos rodeados ou não de problemas; estar atentos ao nosso propósito, aos nossos valores, para não nos desviarmos deles, durante a nossa caminhada; ser protagonista da nossa história, certos que a vida é nossa e toda escolha sempre terá consequência; procurar não tirar o foco da direção que queremos seguir; aceitar que somos imperfeitos e mortais; trabalhar a nossa humildade, pedindo ajuda, quando percebermos que não estamos conseguindo compreender a nossa essência, e, também, começarmos a usar lente de aumento para os nossos problemas; enfrentar os nossos desafios; ter serenidade em nosso dia a dia; aumentar a nossa fé, independente de ter ou não religião ou crença em Deus; procurar realizar o nosso desejo com uma ou mais pitadas de alegria...

           

            No entanto, não só precisamos tomar esses cuidados, mas, também, termos em mente que nenhum plano adiantará se não atuarmos em nossa vida com mais atenção nos fertilizantes e na forma como eles estão sendo usados para que a nossa terra, nossa vida, seja bem fertilizada e dê bons frutos.

             

            Tampouco, passa ser importante sabermos como estamos usando as nossas habilidades, competências e o nosso tão precioso tempo para a concretização desse desejo fecundo.

             

             Logo, anseio que a fecundidade não venha a ser, apenas, como acontece com algumas pessoas, mais um plano de final ou início de ano que, mais além, costuma cair no esquecimento devido à desmotivação, rotina do dia a dia ou mesmo perda de prazer. Não obstante, possa ser realizada como resultado de esforço, dedicação, empenho, fé, força e foco, porque valorizar a capacidade de conceber e gerar uma vida é uma grande graça.

1 comentário

Comentar post