Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

DEPORTADO.

 

       Hoje, me peguei refletindo o quanto já senti vontade de banir alguém ou algo da minha vida, mas acabei freando a minha veleidade por pura hesitação.Deportar uma pessoa ou mesmo um objeto para longe da nossa terra, da nossa vida, não é simples, requer paciência, decisão e renúncia.

      

       Muitas das vezes, esse desejo está acompanhado de um grande pano de fundo recheado de : frustração, decepção, raiva, expectativa excessiva, inveja, medo e impulsividade.

 

       Tomar  qualquer decisão sem refletir, me parece imprudência e me lembra atitude de adolescente que quer tudo para agora e do seu jeito.

 

       Excluir alguém da nossa agenda, somente, por não corresponder mais as nossas vontades,momentâneas, não significa amadurecimento.Todavia, não saber a hora certa de dizer adeus para o que nos destrói, também.

 

       Saber viver não é fácil, mas necessita de uma pitada de sabedoria e muita paciência. “Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma.Até quando o corpo pede um pouco mais de alma.A vida não para...Será que é tempo que lhe falta pra perceber?Será que temos esse tempo pra perder?”.

 

       Ficar privado de construir a nossa história e de poder escolher quem irá fazer parte dela, por indecisão ou impaciência, é muita perda de tempo, ou melhor é a morte.

 

      Se quisermos  nos tornar pessoas melhores, precisamos nos comprometer com a nossa vida: escolhas, sonhos, planos, metas, objetivos e renúncias.

 

      Conseguir tomar a decisão e renunciar algum comportamento que exerce controle sobre nós e nos afasta do nosso propósito, é vital.

 

      Há momentos em que precisaremos andar com uma peneira imaginária para separar o que constrói do que destrói, jogar fora o que nos faz mal ou aprender a reciclar, reconstruir ou ressignificar as nossas experiências.

 

     Por conseguinte, precisamos conhecer o local onde está nossa terra, aprender a  manejar, limpar, adubar, cuidar, jogar a semente apropriada, na hora certa,  separar o joio do trigo e saber esperar o momento exato para a colheita, pois tudo tem um tempo.

 

    "Um tempo para cada coisa”. Tempo de nascer, morrer, plantar, arrancar,matar, curar,demolir, construir,chorar, rir,gemer, dançar, atirar pedras  e ajuntá-las, abraçar, apartar, procurar, perder, guardar, jogar fora, rasgar, costurar, calar, falar, amar, odiar, tempo de guerra e de paz.

 

      O tempo é muito subjetivo e não fazer o bom uso dele, também.

 

      Portanto, nada melhor para nós do que procurar, sempre, o nosso bem-estar durante a nossa vida.Procurar descobrir quem somos, o que gostamos, qual a nossa vocação, missão, o que ou quem queremos que esteja ao nosso redor para  compartilhar as nossas alegrias e tristezas, conquistas e derrotas.

 

       Então, uma vez que a vida é nossa e nos foi dada, que possamos valorizá-la com um proceder que nos edifique, deportando, se necessário for, algo ou alguém que precisa ser deportado para que a nossa terra dê frutos.

       

     

                                        (Fonte da imagem: http://viajandodireito.com.br)

4 comentários

Comentar post