Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

CONSOLAR OS OUTROS.

              Aliviar o padecimento de alguém me parece uma nobre missão. Contudo, é importante identificar e provocar algumas ações para procurar aliviar os próprios fardos para, posteriormente, cumprir essa missão humanitária, porque senão ao invés de ajudar poderemos nos ver caídos dentro do buraco junto com quem nos pediu ajuda.

          

           Entretanto, para realizar este serviço não é necessário que estejamos prontos ou perfeitos. Até por que a humanidade é imperfeita e está sempre em construção, mas que possamos estar desejosos e dispostos a identificar, a cada dia, toda espécie de acúmulo de entulhos, sujeiras, bagunças, inutilidades e relações secundárias, que não são mais importantes e fundamentais, que possam estar pesando e impedindo o nosso progresso existencial.

        

          Como também, questionar o motivo pelo qual estamos agarrados ou mesmo apegados a papéis, fotos, imagens, acontecimentos passados e até relações que comungam com as nossas ideias, valores e sentimentos. No entanto, já não contribuem mais para o momento atual o qual estamos vivenciando e acabam nos deixando tristes, desmotivados, empobrecidos e estagnados por atravancarem e impedirem o fluxo natural da nossa vida. Desenvolver essas ações poderá contribuir para diminuir ou amenizar o peso em que suportamos e nos deixam, muitas das vezes, sem força para enxergar ou mesmo ajudar o outro.

     

         Não obstante, não só identificar e questionar o acúmulo ou apego, mas conseguir dar adeus a essas relações petrificadas para ir ao encontro de outras que nos enriquecem como pessoas, estimula-nos a conviver com a diferença, provoca-nos a desconstrução de velhos hábitos e nos encoraja a construção de novos, permitindo que uma espécie natural de entropia ocorra para contribuir com a nossa organização, ora externa ora interna.

    

         Logo, adotar essas ações poderá nos deixar mais leves, com menos fardos para sermos preenchidos, se quisermos, com três virtudes: fé, esperança e caridade, independente de ter ou não uma crença religiosa, mas que, provavelmente, não irão nos pesar e nos propiciará a realizar a nobre missão de ajudar a aliviar as dores e os sofrimentos dos outros.

 

                                 (Fonte da imagem: https://www.educolorir.com)

                                                                                       

                                  consolar-14129[1].jpg