Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

SABEDORIA.

                                                                                         (Fonte da imagem: www.jornaldosbichos.blogspot.com.br)

                                                                

              Venho já alguns dias refletindo sobre a sabedoria, a qualidade de quem é sábio e possuidor de grande conhecimento, aspirada por muitos há milênios, mas alcançada por poucos, porque nem todos permanecem constantes no objetivo de ser instruídos e instruir.

          

           Algumas pessoas desejam a sabedoria, todavia, acreditam que no momento que a possuir não precisarão mais tê-la como objeto de seus pensamentos e, muito menos, irão precisar cuidar dela.

        

           Ledo engano!  

       

          “Feliz o homem que persevera na sabedoria”. (Eclo. 14,22).

        

           Entendo que para conseguirmos alcançar uma meta em nossa vida é necessário combater toda e qualquer procrastinação e buscar, sempre, melhorar e aprender com quem poderá nos instruir, guiar e orientar os nossos passos.

        

           Desejar ser instruído indefinidamente é uma característica fundamental para quem tem como meta a sabedoria. Bem como reconhecer e admitir para outrem que nada sabe.

       

          Sócrates, um dos maiores filósofos de todos os tempos, disse: “Só sei que nada sei”. Para ele, o verdadeiro sábio tem consciência da sua ignorância e, por isso, se abre para a aprendizagem dia após dia. Não se contenta com o que já aprendeu nem guarda para si o que sabe, mas transmiti, ardentemente, para o outro o seu conhecimento sem comodismo.

         

          Segundo Nair de Souza Motta, o saber é um dos valores supremos que enriquece a inteligência humana, tornando o homem capaz de criar e realizar as mais variadas obras para o seu próprio benefício e para o bem- estar da sociedade.

        

          No entanto, há pessoas que arrotam arrogância, orgulho, mentira, falsidade e prepotência: “eu já aprendi tudo o que tinha que aprender”; “não tem ninguém que saiba mais do que eu”; “já vivi muito e não tem nada que eu já não saiba”, não querem repassar o que supostamente aprenderam e demonstram nenhum compromisso com a sabedoria.

        

          Portanto, essas pessoas não são sábias e, sim, falsos sábios, pessoas insensatas, porque um verdadeiro sábio é prudente, sensato, justo, totalmente compromissado com o bem, com a verdade, sabe qual é a sua meta e procura fazer-se sábio, diariamente, pois ,caso contrário, poderá deixar de sê-lo.

      

          Então, finalizo com uma provocação: O que está faltando para você alcançar e manter a sabedoria?