Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

GRATIDÃO.

       Nos dias voltados para competição, treinamento, choro, alívio, alegria e gratidão expressada por alguns atletas por terem conseguido a tão sonhada medalha de ouro, prata ou bronze, pude parar, refletir e fazer memória de alguns momentos da minha vida em que dei graças.

     

      Demonstrar agradecimento a alguém que nos é importante parece um grande desafio, pois entendo que seja preciso nos despojar do orgulho e voltar-se ao outro para expressar um simples: obrigado. Segundo Shakespeare, “A gratidão é o único tesouro dos humildes”. Concordo, uma vez que, este sentimento é rico, glorioso e recheado de uma suprema grandeza manifestada na pessoa que o expressa.

     

      Não obstante, devemos estar livres de qualquer sentimento de débito por gentileza ou favor recebido porque, desta forma, perderá o sentido da ação de graças.

       

      Mas agradecer o quê?

      

      Podemos começar a agradecer pelo ar que respiramos, pelo alimento, trabalho, estudo, dinheiro, pelos amigos, pela família, saúde, enfim, pela vida, mesmo durante os momentos difíceis.

    

      Roberto Carlos já dizia: “Por isso eu digo: Obrigado, Senhor, por mais um dia. Obrigado, Senhor, que eu posso ver. Que seria de mim, sem a fé que eu tenho em Você? Por mais que eu sofra. Obrigado, Senhor, mesmo que eu chore. Obrigado, Senhor, por eu saber, que tudo isso me mostra o caminho que leva a Você”.

   

      Não é fácil agir dessa maneira. É bem custoso, mas extremamente importante para galgarmos o degrau da sabedoria, independente da crença. Parar de murmurar e começar a agradecer. “Mesmo os momentos mais tristes podem ser encarados com um coração agradecido, se não pela crise em si mesmo, pelo menos pelo crescimento que ela pode despertar...” (autor desconhecido).

    

     Todavia, para chegar a esse nível de agradecimento é necessária muita disposição e decisão para ser uma pessoa melhor que consegue enxergar a vida não com os nossos olhos, mas com o da fé em algo ou alguém que nos impulsiona a valorizar a nós mesmo, ao próximo, ao mundo e as coisas que temos.

   

     Por isso, lanço um desafio para darmos graças por tudo que aprendemos, superamos, alcançamos , batalhamos e conquistamos para o nosso aprimoramento como pessoa. Sejamos gratos a todos que nos ensinaram a amar, perdoar e prosseguir a participar da vida com atitude, virtude e plenitude.

 

 

 

                                           ( fonte da imagem: www.educadores.diaadia.pr.gov.br)