Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

ALEGRIA,ALEGRIA,ALEGRIA.

            

 

 

                                               

                                                                                               

                                                (Fonte da imagem: www.brasilescola.com)

 

 

            Daqui a alguns dias, precisamente seis dias, comemoraremos uma das festas populares consideradas a mais animada: O carnaval.

           

            Algumas pessoas já se planejaram desde o ano passado para aproveitar o feriado fora do seu estado, município ou até país. Outras, vão para um retiro espiritual, fazenda, sítio, casa de parentes, amigos, ou ficam em sua residência para assistir as Escolas de Samba pela TV, ler um bom livro, conversar, brincar com seus filhos, passear nos parques, ir à praia, piscina... Enfim, cada pessoa vai procurar viver, prazerosamente, de acordo com seus valores e costumes.

          

            Mas, tenho a impressão, de que nesta época, todos nós, seres humanos, somos “intimados” a estarmos alegres, pois , caso contrário, talvez, desafinemos no bloco do carnaval.

          

            Segundo Gabriela Cabral “O carnaval é uma festa que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção.Posteriormente, os gregos e romanos inseriram bebidas e práticas sexuais na festa, tornando-a intolerável aos olhos da Igreja. Com o passar do tempo, o carnaval passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica, o que ocorreu de fato em 590 d.C. Até então, o carnaval era uma festa condenada pela Igreja por suas realizações em canto e dança que aos olhos cristãos eram atos pecaminosos.

          

             A partir da adoção do carnaval por parte da Igreja, a festa passou a ser comemorada através de cultos oficiais, o que bania os “atos pecaminosos.” Tal modificação foi fortemente espantosa aos olhos do povo, já que fugia das reais origens da festa, como o festejo pela alegria e pelas conquistas.”

       

            Não tenho a pretensão de trazer à tona a discussão sobre “os atos pecaminosos” banidos pela Igreja durante a comemoração do carnaval, mas faço um convite para refletirmos sobre a alegria.

      

            No dicionário Aurélio, a alegria é uma qualidade ou estado de quem tem prazer de viver.

      

            Será que para demonstrarmos que estamos alegres com as nossas conquistas, produções, trabalho, família, estudo é preciso fazer uso de drogas e ou sexo abusivamente?

      

            “Do riso eu disse: “Loucura!”,e da alegria: “Para que serve?”.(Eclesiastes 02,02)

       

             Qual é alegria que queremos para a nossa vida?A verdadeira ou a falsa?

       

             Vamos fazer uso das máscaras de carnaval para nos divertirmos ou para esconder ou fingir os nossos afetos?

      

             Lembremos que tudo passa inclusive o carnaval. Como já disse Los Hermanos “Todo carnaval tem seu fim... Deixa eu brincar de ser feliz.”

      

              Portanto, lanço um desafio para neste carnaval em vez de brincar de ser feliz, nos divertir pra valer, pular, jogar confetes, cantar, dançar, namorar, paquerar, encontrar os amigos a fim de que possamos comemorar a vida com autêntica alegria, alegria, alegria.