Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Psicóloga Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

Psicóloga Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

RECONSTRUÇÃO.

                           

    horta-em-vaso1[1].jpg

                                       (Fonte da imagem: www.google.com.br)

 

               Percebo que mais um ano está por findar quando enxergo os diversos e variados enfeites natalinos espalhados pelos lugares por onde passo. Nesses infindáveis adereços surgem, também, as confraternizações, recheadas de discussões e debates sobre vários temas. Dentre eles os que mais estão em voga, atualmente, são as revoltas e as inseguranças dos brasileiros sobre o rumo que o nosso País está tomando. Quantos falsos juramentos, injustiças, maldades e corrupções estão sendo espalhados em nossa terra. O que mais precisaremos vivenciar para realizarmos a reconstrução dela?

               Existem pessoas que precisam chegar ao fundo do poço, às vezes perder tudo ou quase tudo, para só assim pedirem ajuda, serem libertas e conduzidas para conseguirem sair da situação em que se encontram.

              Quando tomamos consciência de que não estamos conseguindo colher bons frutos em nossa terra, precisamos procurar mudar a forma como estamos realizando o cultivo, pois caso contrário, estaremos nos iludindo querendo um resultado diferente, tendo as mesmas ações.

              Segundo o Portal Embrapa Produtor, quando queremos plantar algum tipo de fruteira, devemos seguir algumas operações de preparo do solo com antecedência: roçagem; queima do mato; encoivaramento e destoca, ou seja, a limpeza da área para mais adiante poder dar início ao plantio. Assim, também, acredito que se quisermos melhorar o nosso País ou mesmo as nossas escolhas que realizamos em nossa vida, devemos se possível, diariamente, iniciar uma limpeza daquilo que nos impede de dar bons frutos para evitarmos chegar à perda total.

             Entretanto, reorganizar não é fácil, mas extremamente importante se desejarmos avançar, desenvolver e crescer. Uma vez que, aceitamos, mas não concordamos com o modo de alguém proceder ou da situação desenvolvida, já começamos a vislumbrar uma possível mudança para que no tempo oportuno possamos alterar essa realidade.

             Talvez o grande segredo da forma como estamos agindo possa estar no foco e na força de vontade para modificar o nosso estado ou algo e determinar o curso da nossa vida, ao invés de ficarmos conformados com o que nos acontece, agindo com resignação e acreditando sermos impotentes diante dos fatos e atitudes das pessoas.

             Como também, conseguir trazer à luz o que nos causa incômodo poderá ser o começo da nossa libertação e bênção, pois muitas das vezes o problema já começa a ser resolvido quando falamos dele, expressamos de forma transparente e sincera as nossas dificuldades.

            Num mundo complexo e conturbado, conseguir um tempo para expressarmos sem censura o que nos desagrada, aborrece e nos causa desconforto poderá nos ajudar a refletir e encontrar as saídas para os diversos problemas instalados em nosso redor. Tampouco, procurar relaxar, deixar a nossa mente divagar, sem imposição ou qualquer tipo de cobrança ou comparação para que lado deva ir, poderá contribuir para que fiquemos mais criativos e quem sabe mais dispostos para alterar o que acreditamos ser imprescindível mudar.

           Só não dá é para continuarmos incomodados, revoltados, inseguros e sofrendo sem ao menos procurarmos alternativas para lidar com o problema ou com a dor. Como dizia Carlos Drummond de Andrade (Apud A Psicologia da Dor, 2014, apresentação), “A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.”

           Portanto, desejo que não precisemos chegar a vivenciar o fundo do poço para realizarmos a reconstrução necessária da nossa terra. Desafio que possamos detectar, não somente no final de cada ano as nossas “pragas”, mas todos os dias, os elementos estranhos à nossa terra que possam estar dificultando a plantação e, posteriormente, o enraizamento e colheita de bons frutos da nossa existência. Bem como, possamos estar atentos nas escolhas e utilização dos adubos que servem para enriquecer e fertilizar o nosso solo, para propiciar uma base indispensável a qualquer plantação que nos traga bons frutos: prosperidade, coragem, verdade, justiça, segurança e entusiasmo.