Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) *COMPRE PELO LINK *PREÇO FRETE DENTRO DO BRASIL *Tel.: BRASIL(21)98383-1978 * rosangelaperez@terra.com.br

RESTAURAÇÃO.

 

        Surgiu em minha mente uma imagem de um copo de vidro quebrado em diversas partes. Então, refleti sobre a possibilidade de restaurar algo que por algum motivo se quebrou em nossa vida.

     

        Em algum momento da etapa da nossa existência, aconteceram fatos inesperados que não conseguimos dar conta porque foram surgindo ao mesmo tempo: perdas afetivas, traições, problemas no trabalho, conflitos nas relações humanas, acidentes, violências... E tudo isso, precisou ser enfrentado para que pudéssemos encontrar alguma solução.

     

       Contudo, muitos deles acabaram deixando rastros, ao ponto de nos sentirmos abatidos, partidos e com a sensação de estarmos com as nossas emoções fragmentadas.

 

        Quem nunca se sentiu assim, atire a primeira pedra.

 

        E é bem assim, sentimos como se alguém tivesse nos alvejado com um tremendo pedregulho e como consequencia, ficamos em frangalhos.

 

       Levantar e catar todos os nossos cacos e pedaços não é uma atitude fácil e requer, muitas das vezes, uma baita energia e decisão para pôr de novo em vigor a nossa história.

 

       Resgatar o que ficou para trás, como os nossos sonhos, metas, confiança e dignidade, como também, procurar restaurar cada porção da nossa vida que foi arrancada, estabelecida como fracasso, cheia de medos e inseguranças, passa a ser indispensável para trazer harmonia, força e foco em nossa evolução.

 

      Erguer-se com confiança, firme em nosso propósito, apesar dos tombos, erros e fracassos, poderá nos deixar com uma alma que se assemelha a jardim florido, cheio de esperança, transformando o luto em regozijo.

 

      No entanto, precisamos estar dispostos a abaixar, recolher e reunir tudo o que foi despedaçado ou danificado. Dispostos a nos salvar, nos libertar dos nossos velórios internos, nossos dominadores.

 

      Nessa hora, faz-se necessário discernimento para saber o que poderá ser reaproveitado ou não, mas também, uma boa dose de humildade e constância em nossas ações.

 

      Visto que, uma reconstrução precisa de tempo e muito empenho.

 

      Entretanto, muitos desistem, durante o processo, por apresentarem orgulho, imediatismo ou mesmo por não suportarem passar por uma sucessão de estados ou de mudanças e acabam desistindo desse movimento.

 

      Alguns ficam gemendo pelo que lhes aconteceu com lamentos e amargos soluços, guardam rancores, raiva, mágoas, não despontam em seu futuro a esperança e ficam escravizados em um ou mais acontecimentos da sua vida, paralisados, sem condição de ir adiante, tampouco, responsabilizam-se pela sua reconstrução.

 

      Parar de olhar para aquilo que foi quebrado com olhos desesperados, desanimadores e rebeldes nem sempre é fácil e, por isso, muitas das vezes, precisamos de ajuda para conseguirmos converter as nossas ações, erguer sinais indicadores que nos oriente, nos ajude a ter consciência dos passos dados em nosso caminho, das sendas que percorremos.

 

      “Cessa de gemer, enxuga tuas lágrimas” (Jeremias 31, 16).

 

      Assim, faço votos que consigamos pedir ajuda, se necessário for, para  parar de gemer e secar as nossas lágrimas, respirar fundo, acreditar que podemos nos construir, mesmo que alguém um dia quis nos destruir.Também, anseio que possamos respeitar o nosso processo de restauração, procurando ser feliz, apesar de tudo.

 

 

 

 

(Fonte da imagem: www.veja.abril.com.br)