Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

QUAL É A SUA VOCAÇÃO?

                                             (Fonte da imagem:http://wepmaria.blogspot.com)

                                                                                                              

  

      Segundo Regina Sonia Gattas, “O termo vocação tem sido confundido com profissão, embora os dois conceitos sejam bastante diversos, e de origens diferentes  (do latim ‘vocare ’=  chamar e 'professio’ = ocupação habitual) Esta confusão parece-nos consequência de que a vocação, o “chamado” é um impulso, uma necessidade a ser satisfeita, enquanto que a profissão é o que satisfaz essa necessidade”.

        

     Em algum momento da nossa vida já escutamos alguém nos indagar sobre as nossas escolhas profissionais : O que você vai ser quando crescer? Parece que só seremos alguém depois que realizarmos a escolha profissional.

        

     A fase do desenvolvimento na qual realizamos a escolha da nossa profissão é a adolescência. Justamente onde nos encontramos, muitas vezes, confusos, inseguros diante da chegada de um novo mundo cheio de descobertas, conflitos, emoções exageradas, paixões, ideologias, turmas... É neste mundo onde precisamos tomar a grande decisão pela carreira profissional.

        

     Diante de várias opções: satisfação pessoal, vocação, habilidade, sucesso financeiro, prestígio social, mercado de trabalho, realização dos desejos dos familiares, os mitos, preconceitos, entre outras, qual a melhor escolha a fazer?    

        

     Penso que conviver com pessoas que desde cedo nos estimulam a fazer escolhas, acreditar em nosso potencial, ter coragem, a aprender com os erros, não desistir frente às dificuldades, contribui para que, na hora H, a tomada da grande decisão da nossa vida, seja feita de forma coerente com a nossa vocação, o nosso chamado.  

        

     Acredito que a família tem um papel importante neste momento da escolha, pois “É no convívio da família que se formam os conceitos, aspecto extremamente importante quando consideramos a estruturação de um projeto de carreira.” (Tabajara Dias)

          

     Entretanto, todo projeto requer desenvolvimento de algumas etapas e uma delas é o estabelecimento de objetivo. Como identificar e definir este objetivo que faz parte não somente do projeto de carreira, mas do projeto da nossa vida? Considero importante que antes de definirmos qual objetivo, precisamos conhecer-nos, tomar contato com as nossas emoções, nossa história familiar, motivação, cultura, nossos sentimentos e humor porque o conhecimento antecede a escolha.

        

     Assim, responder a pergunta desta matéria não é tão simples como algumas pessoas pregam, pois saber qual é a minha vocação e escolher a profissão que me deixará satisfeito ao ponto de perseverar, mesmo diante das dificuldades ou pressões sociais, buscar outros caminhos, investir, trabalhar, dar a vida, não desistir do chamado é antes de tudo um desafio que nem todos estão preparados para aceitar e encarar.

       

    “Sai de tua terra, do meio de teus parentes, da casa de teu pai e vai para a terra que eu vou te mostrar.” (Gn.12,01)

          

     E aí, qual é a sua vocação?