Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

Rosangela Perez

*Psicóloga CRP ativo *Psicoterapeuta *Professora *Palestrante *Autora do livro: EXERÇA SUA LIBERDADE DE SER(Ed.Letra Capital) Peça o livro pelo WhatsApp ou e-mail *Tel.: BRASIL (21)98383-1978 *E-mail: rosangelaperez@terra.com.br

LIBERDADE DE SER.

 

 

 

                                              (Fonte da imagem: http://livre-livre.blogspot.com.br)

 

 

  

           Segundo o dicionário, livre é quem não está prisioneiro, está solto e desprendido.Não é fácil sentir-se assim, livre de tudo o que nos aprisiona e escraviza: valores, crenças, hábitos, rituais, afetos, ambições desmedidas, vaidades exageradas, medos, inseguranças...em prol de SER.

    

           Quando uma pessoa ao acordar decide renunciar tudo o que a oprime e impede de seguir em frente com autenticidade, sem levar consigo na bagagem  as imposições e perfeccionismo que a fizeram ficar estagnada e inflexível e a viver em um mundo cheio de ilusões e fantasias, isso é sinal de coragem e de muita vontade de SER livre.

    

          Querer e procurar ser uma pessoa livre, mesmo que não agrade, que não seja compreendida por todos e muito menos aceita, a deixa liberta de muitos melindres, acanhamentos, vergonha e artificialismo que podem ser grandes obstáculos para  realizar o verdadeiro encontro consigo e com o outro, de pessoa para pessoa.

   

           Esse encontro costuma provocar no ser humano um amadurecimento emocional porque ele passa a aceitar as coisas e as pessoas como são com menos rigidez, mais espontaneidade , criatividade , segurança para SER e disposição para  caminhar  com passos mais firmes, valorizando cada movimento da sua existência.

  

           Uma pessoa assim, não mais aceita em sua história ter o papel de coadjuvante e, sim,  de protagonista que se apresenta sem medo porque quer  participar da  história por inteiro .

  

           SER , integralmente, sem medo do imprevisível, é trabalhar dia a dia a criatividade , deixar-se criar, conhecer, mudar, transformar a caminhada mais real, única, verdadeira, sensível e valiosa, sem medo de abrir-se para a vida e para o outro.

  

           Para Rogers, podemos viver com a mudança permanentemente e precisamos estar sempre prontos para receber as coisas e a desistir delas, de acordo com a hora.

   

           Alexander Herzen por volta de 1850 escreveu: “Freqüentemente as pessoas aceitam o preconceito ou o hábito como verdade e, nesse caso, não se perturbam; mas se chegam alguma vez a compreender que sua verdade é um absurdo, o jogo termina.Daí por diante, é só pela força que um homem pode ser obrigado a fazer o que considera absurdo.”

 

          Contudo, esta decisão de SER livre, renunciar a rigidez, ser mais autêntico, ao ponto de provocar uma autenticidade nos outros, uma liberdade para troca, para a mudança, requer investimento diário, vigília constante para não  perdermos o sentido, o propósito deste encontro, desta comunicação interpessoal enriquecedora, onde permitimo-nos SER e permitimos que os outros SEJAM.

    

         Portanto, que possamos, se possível, estar abertos ao encontro verdadeiro, espontâneo e criativo sem máscaras rígidas, petrificadas que não mostram quem somos, apenas nos afastam, nos escravizam e nos impedem de ir em frente, de ser nós mesmos com mais coerência e liberdade.

 

 

4 comentários

Comentar post